Dicas para operadores de motoniveladoras

Dicas para operadores de motoniveladoras

2 de janeiro de 2020 0 Por Bamaq Máquinas

Como as impressões digitais de sua mão, cada estrada de terra é única. A superfície de rolagem pode ser cascalho, saibro, minério, rocha triturada ou areia, mas todos têm uma coisa em comum: é necessária a manutenção para manter a pista em boas condições de transito. O tráfego de veículos desloca o material da superfície da estrada para os acostamentos e nas valas, formando sulcos na estrada. Assim são formadas as costelas, murunduns, valetas, fissuras, principalmente em depressões, curvas e em áreas de aceleração ou frenagem. Tempestades, escoamento de agua e neve também afetam as estradas não pavimentadas.

A seguir, apresentamos dicas que podem ajudar os operadores de motoniveladoras a aumentar os intervalos de manutenção nas estradas e evitar retrabalhos:

 – Para remover as costelas, corte as ondulações em toda a sua profundidade e repasse a área com material úmido que ajudará a compactar. (Corrugações preenchidas com materiais soltos e secos necessitarão de novos retrabalhos em áreas com tráfego intenso de veículos.) É melhor remover as corrugações usando um escarificador ou um ripper a pequena profundidade.

 – Articular a estrutura traseira em direção à base em 2 a 5 graus ajuda a reduzir a tendência das motoniveladoras de saltarem e é extremamente eficaz ao cortar as costelas. Isso coloca um pneu dianteiro um pouco à frente do outro, permitindo que um pneu fique no topo de uma ondulação enquanto o outro está na base inferior. À medida que os pneus rolam para cima e para baixo na costela, o eixo dianteiro oscila para cima e para baixo, mantendo o chassi principal dianteiro estável. Não use a posição no modo caranguejo ao escarificar áreas com costelas, pois isso pode dobrar as hastes e / ou articulações do escarificador.

 – Corte os buracos principais até sua profundidade para eliminá-los. (Novamente, preencher as imperfeições com material seco e solto é ineficaz, pois o tráfego desloca rapidamente o material solto e os buracos reaparecem.)

 – Normalmente, inicie a manutenção da estrada com a parte superior da lâmina a cerca de 5 cm à frente da aresta de corte e, em seguida, ajuste o material e as condições. Incline a lamina para frente ou para trás para obter e manter a ação de corte e laminação desejada. Inclinar a lamina para frente aumentará o fluxo de material ao longo da lamina em uma ampla variedade de tipos de solo. Manter uma ação de rolagem do material durante o trabalho reduz a potência necessária e fornece a  produtividade máxima. A lâmina central Roll Away com perfil evolvente exclusivo das motoniveladoras New Holland contribui em muito para isso.

 – O acúmulo de material na área do círculo pode aumentar o desgaste do círculo. Ele também pode interromper a ação do rolamento do material e fazer com que seja empurrado. O empurramento de material requer mais potência e mais tração e reduz a produtividade da motoniveladora e aumenta o desgaste dos pneus.

 – Aplique apenas pressão descendente suficiente para realizar a tarefa. A pressão excessiva para baixo em uma superfície dura e seca, causa rápido desgaste das facas de corte e requer mais potência e combustível  reduzindo a produtividade.

 – O ângulo da ponta da lâmina deve ser posicionado com a aresta de corte a 90 graus da superfície da estrada. Nesta posição, a pressão descendente na lamina coloca menos tensão na aresta de corte e nos parafusos de retenção. As bordas também tendem a passar por cima de objetos, o que ajuda a evitar danos à máquina.

 – Lamina Curva

A lâmina curva é recomendada para aplicações de acabamento. Quando se requer maior penetração, as lâminas curvas mantêm-se afiadas por períodos mais prolongados de tempo. A escolha da espessura adequada da lâmina depende muito da resistência à penetração (compactação) oferecida pelo solo – quanto mais fácil for a penetração, mais espessa a lâmina que poderá ser usada.

 – Lamina Reta

A lâmina reta é recomendada para trabalhos que provoquem muito desgaste e exijam alta resistência ao impacto, em que a penetração não é o requisito principal, como ocorre na abertura e conservação de estradas.

 – Para a estabilidade máxima da máquina ao manter estradas, a estrutura principal da motoniveladora deve estar alinhada com a barra de tração e centrada no círculo sob a estrutura.

 – Mantenha a velocidade de deslocamento da máquina o mais alta possível para obter a produtividade máxima, mas baixa o suficiente para evitar quedas da máquina (geralmente de 5 a 8 km/h).

– Os ângulos da lamina entre 10 a 30 graus são normalmente usados ​​em material leve e de fácil rolamento. São necessários ângulos maiores da lâmina de 30 a 50 graus ao processar material pegajoso e úmido, misturar grandes leiras e cavar.

A força global da New Holland está na tecnologia, na eficiência e no alto padrão de qualidade de suas motoniveladoras. As soluções locais que a New Holland traz para os segmentos em que atua consolidam a excelência da sua marca no mercado mundial da construção.